O Congresso Futurista – Ari Folman (2013)

Por Thiago Vieira

O Congresso FuturistaO Congresso Futurista
é o novo filme do diretor israelita Ari Folman, realizador que conta com películas sóbrias e inteligentes, como seu documentário animado, Waltz with Bashir, que resgata as memórias do próprio diretor sobre a guerra no Líbano em 1982.

Congresso é um filme complexo e aberto a várias interpretações. Nessa análise, dividiremos o filme em três partes, para facilitar a resenha sobre o filme. A primeira parte é live action e é quase um filme a parte. Esse trecho nos faz pensar sobre o futuro da arte, sobre o mundo inescrupuloso das grandes produtoras que cerceiam a liberdade dos artistas e buscam, na maioria das vezes, apenas o lucro.

A segunda parteA segunda parte, que (supostamente) se passa 20 anos, é bela e assustadora, é onde entra a animação e começam as referências à dezenas de filmes clássicos, além de músicos e artistas famosos, também percebe-se o despontar do surrealismo que nos segue pelo resto da película. O traço é primoroso e a delicadeza da animação é impressionante, as cores são combinadas de forma precisa e bem trabalhada. Existe uma sensualidade clara a todo momento nessa parte, percebemos objetos e animais com formato de órgãos sexuais, talvez uma referência ao subconsciente da protagonista, que desde o início é referida como cheia de medos, dúvidas e problemas. Essa parte serve como uma introdução à terceira, mostrando o Congresso do título, esse que leva à situação ditatorial do futuro.

Na parte finalNa parte final, que podemos considerar como uma catarse, temas como a liberdade, realidade, criatividade e uso de drogas são abordados, levando o público a refletir. O brilhantismo da equipe artística se deixa evidente aqui, com sequencias de tirar o folego. A beleza aqui também se aplica a face filosófica do filme, que deixa aqueles que assistem reflexivos e confusos até mesmo alguns dias depois de assistir a obra.

"The Congress"A terceira parte é onde mais encontramos referências estéticas. No pequeno trecho live action que representa, de certa forma, um curto momento de liberdade, é possível perceber uma leve semelhança com a trilogia Matrix, na cidade que se torna um grande subúrbio habitado por zumbis, vítimas da droga que possibilita a alteração da realidade. Na área mais refinada da cidade há uma sutileza estética que lembra diretamente à obra prima de Spike Jonze, Her.

O fim do filme é inteligente e impactante, um momento de contemplação, daqueles que sentimos que não podemos perder nenhum momento. Não irei abordar nenhuma interpretação dessa sequência, pois é algo extremamente aberto e relativo a personalidade de cada um. O reencontro entre de ser considerado tanto uma cena leve quanto uma sequência poderosa e impactante.

The Congress film stillA atuação de Robin Wright, como ela mesmo, é bem interessante e tem como apoio a presença do excelente Harvey Keitel. Suas expressões doces foram perfeitas para externar tudo aquilo que a personagem sentia. Toda aquela angustia, aquela náusea que é se encontrar presa em uma distorção da realidade, que muitas pessoas aceitaram num conceito que Sartre chamaria de “Má-fé”.

Alguns podem considerar o filme maçante e confuso demais, só que vale a pena ao menos conferir esse belo trabalho do Folr que ainda promete bastante, principalmente nessa época onde o cinema do oriente médio está despontando até mesmo entre outros países que já tem tradição cinematográfica considerável.

o-congresso-1

Anúncios

Sobre sokoisdead

Apenas um cinéfilo.
Esse post foi publicado em Cinema, Cinema do Oriente Médio, Cinema Israelense e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s